quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Orgão vermelho pulsador


Naquela noite fria de outono ele me entregou uma rosa
Uma linda rosa vermelha que eu deixei morrer, por não acreditar em seu amor
Hoje você olha em meus olhos e ainda se lembra daquela tarde de outono em que eu machuquei o seu orgão vermelho pulsador
E por fim eu acabei fazendo o mesmo que um dia fizeram comigo, e que eu havia jurado não fazer com ninguém..
Eu maguei alguém que me amava de verdade
E ao meu lado hoje você não sabe muito bem o que dizer
Suas lembranças dos momentos em que eu pegava a sua mão e tudo ficava bem, ainda estão presentes em sua mente e em seu orgão vermelho pulsador
E eu sinto saudades, que eu nunca imaginei que as sentiria... lembranças de nossas tardes quentes e acolhedoras da primavera
De quando você segurava a minha mão e dizia que tudo ia ficar bem, ainda trago comigo
Eu te amava, você me amava, mais eu duvidei de todo aquele amor!
E nesta noite fria de inverno eu e você notamos que nossas palavras sinceras se eternizaram
Palavras de amor, palavras de amizade, palavras suas de juras de amor, palavras minhas que trouxeram a dor, e fizeram sangrar o seu orgão vermelho pulsador.

.-.Melissa Lobo.

Ainda sinto suas palavras...
Ainda sinto seu amor....
Me desculpa, por duvidar do seu amor.