segunda-feira, 23 de maio de 2011

Amores Estranhos



Eu sinto muito ter que ir embora
Mas eu sabia que era uma mentira
Quanto tempo perdido atrás dele
Pois (ele) promete e nunca muda depois
Amores estranhos que nos colocam em problemas
Mas na realidade, somos nós

E eu espero por um telefonema
Brigando para que seja livre
com o coração no estômago (com ansiedade)
Um novelo enrolando num canto
Sozinha ali, dentro só um calafrio
Mas por que, "ele"(amor) não há..

E são amores estranhos que
fazem crescer e sorrir
entre as lágrimas
Quanta páginas a escrever,
Sonhos e marcas para dividir
São amores que freqüentemente nesta idade
se confundem dentro da alma
Que se questiona sem decidir
se é um amor que nos favorece (beneficia)

E quanta noites perdidas chorando
Relendo aquelas cartas
E não consegue mais jogar fora mais
No labirinto da nostalgia
Grandes amores... que acabam
Mas por que, isto permanece no coração.

Estranhos amores que vão e vêm
Nos pensamentos dos que escondem
Verdadeiras histórias que nos pertencem
Mas se deixam como nós

Amores estranhos amores, frágeis
Prisioneiros, livres 
Amores estranhos que nos colocam em problemas
Mas em realidade, somos nós

Amores estranhos, frágeis
Prisioneiros, livres......
Amores estranhos que não sabem viver
E se perdem dentro de nós

Me desculpe devo ir embora
Desta vez eu prometi a mim,
Porque eu quero um amor verdadeiro
Sem você

(Tradução/Strani amori/Laura Pausini.)

.-.Melissa Lobo.