segunda-feira, 11 de março de 2013

No amor, não existe finais felizes ...

Belly disse que não teríamos um final feliz.
Porque para ela no amor não existiam finais.
O amor era infinito. Definitivamente sem fim.

Ela ainda quebrava o coração no meio só pra mostrar que ele assim se transformava no simbolo do infinito. Confesso que não levava tao a serio essas coisas, mas gostava de ver Belly toda linda explicando, e se expressando. Me mostrando e me ensinando que tudo o q era verdadeiro se eternizava na alma. Que os sentimentos sinceros duravam para sempre.

Belly me amava, mesmo dizendo isso todos os dias antes de dormir nunca tive certeza se era mesmo amor. 3 anos depois da primeira vez que a amei, nos despedimos.
Eu a deixei queria viver, e fui. Vez ou outra ela me mandava sms perguntando se eu estava bem, eu respondia sempre que sim, e perguntava o mesmo, mas ela nunca respondia que sim, só me mandava uma carinha como resposta.

Me casei, tive 3 filhos que hoje moram no exterior. Me divorciei. E ainda sim nesse meio tempo Belly vinha me perguntar vez ou outra se eu estava bem. Nunca nada alem disso. Soube que ela estava feliz e casada teve filhos também.  Confesso que ate hoje nunca tinha entendido o porque daquelas mensagens. Questionando se eu estava bem, por isso sempre respondia que sim, era automático, ela sempre foi meio doida achava que ela mandava pra todo mundo.

Hoje minha enfermeira respondeu que eu não estava bem. Na mesma hora o telefone tocou era ela.  30 minutos depois Belly estava ali na porta me olhando, nossos olhos se cruzaram e sorrimos. O mesmo sorriso depois de 67 anos o mesmo olhar. Ela veio e segurou a minha mão  perguntei porque ela não veio me ver antes... Respondeu porque eu estava bem. E isso bastava pra ela. Eu estar bem era tudo que Belly me desejara.

Belly me contou como andava sua vida. Me mostrou o retrato de seus netos lindos, que carregara na carteira. Conversamos a tarde toda. Relembramos o que aprontávamos quando jovens e juntos. Rimos e nem por um segundo ela soltou a minha mão. Fechei os olhos estava cansado mas estava feliz. E então ela me abracou e durante esse abraco disse bem baixinho. Eu te amo.

E então eu parti mais uma vez, agora para sempre. Mas eu soube naquele momento que Belly era o amor da minha vida. E que mesmo com cada um seguindo sua vida. Ela nunca deixara de pensar em mim. E que o sentimento era verdadeiro. Lamento ter notado isso tarde de mais. Mas morri feliz, pois foi verdadeiro o que vivemos, mesmo não tendo durado o tempo que achamos que duraria, e uma coisa tenho certeza o que é verdadeiro não acaba nunca. Se eterniza em cada brilho do universo, pensamento, mensagem de texto, no brilho de cada lembrança. Dure ela alguns segundos, ou a vida inteira. Se é amor, é eterno. Como uma estrela, que mesmo depois de morta, continua a brilhar.


Melissa Lobo.