terça-feira, 28 de maio de 2013

Ele

Ele não era um príncipe encantado, desses de conto de fada, que todas as meninas sonham, nem o cavalheiro da armadura brilhante. Também não é de fato um idiota enrolado em papel alumínio. Ele é um homem com jeito de menino, que dá vontade de cuidar. É um pouco de dragão que solta fogo pela boca e esquenta a relação. Ele não é do tipo que me trás flores e chocolates. Também não veio de nenhum filme dos anos 20, nem usa cartola e bigode. Mas sempre vai trabalhar de terno, elegantemente lindo. Ele também não faz serenatas de amor em minha janela. Mas as vezes ele canta uma canção com seu violão, depois de ver um filme qualquer sobre música e Rock'n Roll. Confesso que uma vez ele tentou me surpreender, com digas de outras garotas, como se eu fosse como as outras garotas. Que usam calça leggin e bota no frio, e calça jeans e rasteirinha no calor.
Ele sabe que sou diferente, sei também que é por isso que ele não é um príncipe encantado, ele sabe que não precisa. Que a gente se ama assim, é quase cômico, muito sincero. Com generosas pitadas de ironia, sim ironia é nosso forte. E ele é forte, me abraça e me beija com tanto prazer. Eu poderia listar 10 coisas ou mais, das quias gostaria que um homem fizesse para mim, como flores no trabalho, chocolates na TPM, um sequestro relâmpago durante a noite, pra algum lugar qualquer onde as estrelas brilhem e a gente faça amor. Um jantar romântico. Ou algo do tipo. Mas ele não precisa de nada disso, por algum motivo o meu coração é dele. Do meu dragão, do meu menino, que não aprendeu como conquistar uma mulher normal, mas que me conquistou, eu que não sou nada normal. Não posso exigir dele que seja um pouco de tudo que eu venero, nem príncipe, nem cavalheiro. Só posso pedir que ele continue sendo ele, assim do jeito que sempre foi, sincero, meio atrapalhado, engraçado e apaixonado por mim.
Mesmo que seu amor não seja como os dos filmes e contos de fadas. Mas que é real. E que mesmo sem final me faz feliz para sempre.

Melissa Lobo.