quarta-feira, 4 de setembro de 2013

A culpa

Sim, eu cometi um erro. Cometi o mesmo erro diversas vezes. Mesmo sabendo que era errado. Mesmo sabendo as consequências. Eu insisti em cometer, sem nem mesmo saber o porque. Talvez eu não me importasse. Ou me importasse muito. Confesso que não queria ter errado. Mas errei. Reconheci. E me desculpei. Mesmo assim, você vivei a me julgar. A me culpar. Por um crime que você também cometeu. Eu que nunca ousei te jugar. Nem ao menos questionei. O porque o mundo insiste em, somente enxergar o erro, e nunca o seus vários acertos. Confesso que não importa o quanto eu queira parar de errar. Enquanto eu tentar acertar. Enquanto eu continuar a caminhar. Eu irei errar. Você também muito já errou. E se hoje não erra mais. Também não caminha mais. Você que desistiu de continuar. De tentar. De viver. Hoje só vive sem rumo. Com medo. Sozinha. Ninguém é feliz errante. Mas enquanto eu viver, não vou desistir. E se for preciso errar. Para vencer. Para acertar. Para viver. Para ser feliz. Eu vou errar. Me desculpe, per erros que cometi. E por os que ainda estão por vir.

Melissa Lobo.