quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Mas quem disse que tenho medo da queda?! O voou há de valer a pena!

Todo mundo diz que quer mudar, se arriscar mais, realizar sonhos impossíveis, mudar as coisas, mudar de cidade, de pais, de emprego, de namorado, de casa, da escola. Mudar hábitos, mudar status, mudar a mente, mudar a vida. Mas a verdade é que poucos se atrevem a realmente mudar. Alguns dizem que faltam oportunidades, outros que falta coragem, ou tempo, sempre falta alguma coisa. E assim todos vão continuando vivendo a vida de sempre, sem se arriscar, sem realmente mudar. Alguns contam com o fator sorte. E realmente mudam, mas esses são raros, abençoados pelo prêmio da Mega Sena. Isso tudo porque o comodismo, a rotina, e o medo de mudar, assombram as pessoas. Das quais se preocupam muito, com o que os outros vão pensar, ou tem aquele pensamento negativo, de achar que nada vai dar certo.
Eu, bom eu resolvi mudar. Mas isso não são só planos, essas coisas a gente não pode planejar muito. É como pular de Para-quedas, você não pode ficar pensando se o para-quedas vai abrir ou não, e se vai se estatelar no chão, você só tem que respirar fundo, e pular, e voar, e sentir o vento no rosto, e pucha a corda e pronto o Para-quedas abre, você vive, é feliz, e nunca mais esquece, da loucura boa que cometeu, e não se arrepende. Pelo menos nunca ouvi falar de arrependimentos, pós salto de para-quedas.
Eu resolvi pular, e agora vou voar, vou mudar minha vida. Larguei o Trabalho, sai da casa dos meus pais, troquei de namorado, parei de paranóia, parei de planos, vou passar uns dias estudando muito algo que sempre quis aprender, e sei que terei retorno e que em breve conquistarei o que tanto sonhei. Bom pelo menos é nisso que acredito. Se nada de certo, o máximo que pode acontecer é eu me estatelar no chão. E ter que começar tudo de novo. Mas e dai? Coisas novas são sempre bem vindas, e nunca é tarte para sonhar, e começar de novo, nunca é tarde para buscar a tal da felicidade. Não se pode ter medo da queda, porque o voou sempre há de valer a pena.

Melissa Lobo.