quinta-feira, 23 de junho de 2016

Ela gostava mesmo era da noite, do silencio que ecoava pelas ruas, de ouvir a brisa tocar as arvores e em sua pele aquele arrepio. Ela tinha dentro de si a solidão, mas não era algo ruim, era o que a tornava ela mesma. Ela era como um lobo, enquanto todos adormeciam, ela erguia a cabeça para o céu, olhava para o infinito e uivava.